Conexão antes da correção, como assim?!

Atualizado: 28 de set. de 2021

As crianças e os adolescentes, afinal todas as pessoas, aprendem melhor quando se sentem conectadas. O senso de pertencer é uma das necessidades do ser humano.


Será que em Coaching Educativo existe correção?!


Extensas pesquisas mostram que não podemos influenciar as crianças e nem os adolescentes de forma positiva até que escolhamos criar uma conexão com eles. É algo relacionado com o nosso cérebro (e o coração).


Sim, precisamos primeiro curar o relacionamento e só depois lidar com o comportamento.


A conexão cria uma sensação de segurança e por isso de abertura; pelo contrário, a crítica, o julgamento, a correção, repreensão, acusação ou vergonha geram luta, fuga ou inatividade.


Pois parece que a correção não faz parte do caminho.


Vamos procurar resgatar o relacionamento com os nossos filhos antes de procurar mudar os seus comportamentos. Essa mudança será um dos resultados da nossa conexão.


Sabias que influenciamos pelo amor?

Influenciar pelo amor, sem julgamento e em aceitação é diferente de fazer as coisas pelos nossos filhos e de os superproteger. É antes disponibilizar-nos para escutar, olhar a partir de outra perspectiva e, ainda que discordemos, escolher a empatia como comunicação. É semear com consistência e calma e a seu tempo a influência irá gerar resultados e será para a vida.


Conexões eficazes são feitas quando as crianças e adultos sentem que pertencem à família e que são importantes e aceites. Aceitação da identidade, ainda que discordemos das suas ações e comportamentos. Devemos explicar de forma clara esta diferença. Depois escutar muito... conversar muito...


Como podemos começar a conectar?!


1. Investir em tempo de qualidade juntos.

O que poderá criar uma conexão maior com o nosso filho(a) do que desfrutar de tempo juntos?!


2. Escutar sem julgamento.

Escutar significa parar de fazer o que estamos a fazer e dedicar toda a atenção.

Implica validar os seus sentimentos.

Sentimo-nos conectados quando nos sentimos aceites e compreendidos.


3. Partilhar.

Partilha os teus sentimentos e pensamentos com o teu filho(a): Lembra-te que ele(a) irá escutar-te depois de se sentir escutado(a).

As crianças sentem conexão quando os pais partilham respeitosamente algo seu, as suas vulnerabilidades. A vulnerabilidade tem o poder de gerar identificação.


3. Foco na solução.

Concentra-te na solução, após um período de reflexão.

Faz perguntas curiosas que o(a) ajudem a explorar as consequências das suas decisões, em vez de impor consequências. Perguntas honestas que apelem ao cérebro racional.


4. Afeto.

Abraça e beija, claro que respeitando o seu espaço. Melhor que ninguém conheces esse espaço.

Há momentos em que o que mais necessitamos é de um abraço.

Assim que a conexão for feita, a criança ou adolescente estará aberta a uma forma respeitosa de olhar a circunstância e o seu comportamento.


5. Definam passos de ação focados na solução.

Esses passos de ação e soluções não são definidos pelo adulto, mas em conjunto com a criança ou adolescente. É combinada de forma respeitosa, sempre que possível.

Um ótimo momento para encontrar as soluções combinadas é durante as conversas em família.

Em Coaching Educativo existem ferramentas poderosas que envolvem respeitosamente as crianças e adolescentes na aprendizagem e usam o seu poder pessoal para contribuir de várias maneiras. A conexão é criada como parte do processo. Quando as crianças sentem esta verdadeira conexão, passam a sentir-se pertencentes e importantes. Muitas vezes isso é o suficiente para interromper e alterar o seu comportamento.





Se sentes que a tua criança ou adolescente necessita de ajuda e que está além das tuas habilidades procura-a.


86 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo