Sabias que a qualidade da nossa comunicação define a qualidade dos nossos relacionamentos?

Sabias que a qualidade dos nossos relacionamentos é fundamental para o nosso bem estar a para a nossa saúde?

Mais…

Sabias que a qualidade da nossa comunicação define a qualidade dos nossos relacionamentos?


Convido-te a ler estas frases. Talvez te identifiques com alguma delas se não com todas.

“Não consigo comunicar com o meu filho!” “É difícil estabelecer conexão com o meu aluno/ colaborador.” “Hoje as pessoas não sabem comunicar!”

“Ninguém me ouve!”


Parece-me que em algum momento da tua vida estas frases já fizeram sentido para ti. Todos comunicamos a cada instante da nossa vida e a forma como o fazemos vai muito além das nossas palavras. Afinal, se pensares nas ligações que estabeleces ao longo do teu dia facilmente percebes que na maioria delas sentiste empatia pelo outro, ou ausência dela, apenas pela forma como te sentiste perante essa pessoa, ou melhor pela forma como essa pessoa te fez sentir.


Na nossa vida, ainda que nem sempre nos apercebamos, estamos sistematicamente a avaliar, a nós próprios e principalmente ao outro.

E a criticar?!

Será sobre a crítica o meu convite à nossa reflexão.


Parece-me, pelo menos pela minha experiência, que ainda hoje com tanta informação disponível ao nosso alcance, que é através da crítica que o outro cresce e aprende. E quando nos questionamos sobre como podemos fazer diferente ( e este já é um excelente passo), como podemos fazer para alterar esta situação ainda não sabemos como, nem sequer acreditamos se isso será possível acontecer.


Faz sentido para ti como faz para mim?


Como é que podemos ajudar alguém a aprender sem criticar?!

A verdade é que esta sensação de culpa, tão própria da parentalidade, da Educação nas nossas escolas e nas nossas relações interpessoais domina as nossas ligações e bloqueia-nos.

Isto é um facto. E este é o caminho que estou a descobrir na minha vida e através dela.


Esta posição e perspectiva, a da crítica, retira-nos a capacidade de olhar as circunstâncias de outra forma, através de outra perspectiva, não mais certa ou mais errada, pois o foco deixa de ser esse, antes a aceitação de uma perspectiva diferente da nossa. Quando nos focamos na crítica perdemos e retiramos a oportunidade, a nós próprios e ao outro, do questionamento. Costumo dizer que a crítica nos retira energia e sem energia não escolhemos agir.


Pensa na forma como te sentes quando és criticado.

Ganhas energia para melhorar?

Ou antes sentes necessidade de te defender? Diminuído em relação ao outro e incapaz de ver além da tua própria circunstância?


Experimenta fazer diferente!

Faz perguntas: sem sugestão e sem atribuição de juízos de valor.

Pergunta ao outro, por exemplo: O que podes fazer diferente a partir das tuas caraterísticas pessoais de valor? Com base no que sabes fazer e a partir do teu potencial.

É isto que acontece na minha sala de aula e nas sessões de coaching.

Confesso-te que continuo a necessitar de espaço de melhoria e mais criatividade, principalmente na minha parentalidade. Tu também sabes certamente onde reside o teu espaço de melhoria, se é que já pensaste nisto desta forma.

Desafio-te a refletir e a escolher ir além.

Lembra-te: A TUA MARCA PESSOAL É INCRÍVEL E ACONTECE TODOS OS DIAS ATRAVÉS DA TUA COMUNICAÇÃO, das tuas escolhas.

Escolhe aprender e fazer diferente para criar e fortalecer relacionamentos: para gerar aceitação, zero julgamento e encontrar soluções.

A perspectiva da crítica impede-nos de perceber que a solução existe e passa pela criação e estabelecimento de uma comunicação empática, simples, efetiva e respeitosa. Mais, que esta mudança pode mesmo acontecer e implicará o estabelecimento de melhores relacionamentos, inquebráveis através do AMOR.


Sabias QUE A QUALIDADE DA NOSSA COMUNICAÇÃO DEFINE A QUALIDADE DOS NOSSOS RELACIONAMENTOS?

Esta é a grande pergunta que te deixo como alavanca para a mudança.

Por acreditar que existe outra forma de comunicar e ajudar a melhorar partilho contigo 10 formas de estabelecer uma comunicação eficaz e empática.

Começa por te importar.

Uma comunicação eficaz é empática e demonstra ao outro, aos nossos filhos/alunos/ colaboradores, a todas as pessoas, que nos importamos com o que dizem, pensam e sentem. Passa por escutar verdadeiramente, importar e reforçar o sentimento de pertença e de valorização, que na verdade todos desejamos estabelecer e sentir.


1.ª Pára verdadeiramente para olhar para o outro.

Quando páras verdadeiramente para olhar para o outro demonstras atenção e interesse e estás a ajudá-lo a sentir-se importante.

Acredita em mim, o teu dia ganha significado com esta pequena mudança!


2.ª Coloca-te ao seu "nível".

Baixa-te até à sua altura ou sentem-se de forma a estabelecerem contacto visual. Usa uma linguagem compreensível e procura entrar no seu mundo.

Não me refiro a mudares o teu padrão linguístico e a utilizares as palavras do seu grupo de amigos (ainda que possas usar uma ou outra para gerar conexão), mas antes a revelares compreensão dos seus sentimentos e experiências com as tuas palavras e linguagem não verbal. MOSTRA QUE TE IMPORTAS VERDADEIRAMENTE. VALIDA O QUE SENTE.

Se o teu filho/aluno/colaborador te mostra recetividade segura-lhe nas mãos, olha-o atentamente, acena com a cabeça que o compreendes, inclina o teu corpo em proximidade. REVELA EMPATIA E AMOR.


3.ª Valida as suas emoções: “Compreendo como te sentes."

Caso já tenhas sentido o mesmo partilha: "Compreendo-te, porque também já me senti assim quando...”.


4.ª Quando falares com... deixa o telemóvel de lado.

Hoje sabemos o quanto é menos fácil deixar de lado o telemóvel. Alguns de nós utilizam-no como instrumento de trabalho e pela comodidade da sua utilização acabamos por trabalhar com ele até em casa.

Para outros de nós o telemóvel é utilizado para conversar com amigos e até para desanuviar do dia e ler notícias ou apenas para ver o que acontece nas redes sociais.

A verdade é que excedemos o tempo de utilização e muitas vezes colocamos em causa os nossos relacionamentos, incluindo o nosso tempo familiar. O pouco tempo que temos para dedicar aos nossos filhos e para estarmos por inteiro na nossa comunicação com as pessoas mais importantes da nossa vida.

Escolhe!

Vamos escolher deixar de lado o nosso telemóvel e dedicar-nos, estar por inteiro na nossa comunicação.


5.ª Quando falares com o teu filho/ aluno/ colaborador... mostra-te humano.

Nós: pais, professores, líderes... também cometemos erros.

Mostra empatia pelos seus sentimentos e partilha algum momento em que também te sentiste assim. Sê exemplo!

- O ERRO SERVE PARA APRENDER.

- O ERRO É SEM DÚVIDA O CAMINHO CERTO PARA GERAR ESTREITAMENTO DE LAÇOS.

- O ERRO PODE CRIAR PONTES EM VEZ DE LEVANTAR PAREDES.


? O QUE ESTÁS A CONSTRUIR COM A FORMA COMO TE COMUNICAS?

? O QUE ESTÁS A CONSTRUIR ATRAVÉS DA TUA COMUNICAÇÃO?


6.ª Pratica escutar até ao fim.

Este é sem dúvida um dos meus maiores desafios, escutar até ao fim sem interromper. Talvez também seja o teu.

A verdade é que se interrompermos estamos a perder a oportunidade de aprender mais acerca do outro e eventualmente a fechar uma oportunidade de ajudar a gerar valor e ser na sua vida. Estamos a perder oportunidade de aprender com a sua experiência e de sermos escolhidos como “casa” para a outra pessoa.

Na nossa parentalidade “ser casa” fará com que os nossos filhos escolham encontrar as resposta às suas perguntas no lugar mais seguro e onde é amado incondicionalmente, connosco.


7.ª Pergunta a opinião do outro: “O que achas adequado fazer?”, por exemplo.

As pessoas a quem pedimos opinião sentem-se valorizadas e importantes. Sentem que as consideramos, porque as escolhemos ouvir.


8.ª Diz a verdade.

Algumas vezes achamos que devemos “mentir” à criança, porque achamos que ainda não tem maturidade para lidar com determinada situação.

O meu desafio é diferente.

Se consideras que não é significativo para a criança saber determinada situação escolhe não partilhar. Existem questões que são dos pais e a criança não tem maturidade para resolver, logo não necessita saber. Isso é diferente de mentir.

Quando algo acontece na vossa vida e a criança é implicada fala a verdade. Fala com a verdade adaptada ao seu nível etário, mas a verdade.

É muito importante que o outro nos veja como alguém integro e verdadeiro.

Só confiamos em pessoas verdadeiras e a confiança é um dos pilares dos relacionamentos.


9.ª Fala dos teus próprios sentimentos.

Estarás a ajudar o outro a saber como expressar os seus próprios sentimentos e emoções.

Nós aprendemos a ser através das nossas ligações. Aprendemos através da observação dos exemplos que nos rodeiam.

Cada vez que exprimimos os nossos sentimentos e emoções estamos a ajudar o outro a aprender.

Foca-te em ser sábio e assertivo.


10.ª Acompanha o crescimento e sucesso do outro.

Quer estejamos a falar de relacionamentos familiares ou profissionais, todos gostamos de sentir que o outro é presente na nossa vida.

Aproveita para aprender com o outro e com o seu processo de crescimento.

Presta-lhe reconhecimento pelos seus sucessos e sê “casa” também nos seu obstáculos.

Agradece-lhe a oportunidade e o privilégio que tens de ser parte da sua vida.


Lembra-te: Todos estamos no processo de aprendizagem. A vida toda!


Termino a agradecer a todas as pessoas que posso ajudar através do coaching, em sessões e na sala de aula, aprendo com cada um de vocês. E aos meus amigos e família por serem parte de mim e da minha vida.


Se este texto fez sentido para ti deixa as tuas palavras poderosas escritas nos comentários e/ ou envia mensagem.



Sabias que a nossa comunicação pode definir a qualidade dos nossos relacionamentos
Importância da comunicação nos relacionamentos

91 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo