Testemunho da mãe Paula

Hoje partilho o testemunho da mãe Paula, uma mãe que não conheço, mas que li numa partilha de um grupo que sigo nas redes sociais. Partilho-o, porque acredito no impacto das histórias verdadeiras, as que nos ajudam a lembrar que todos passamos por necessidades e por isso nos trazem aconchego, coragem e aprendizagem.

Esta partilha veio no seguimento de um texto sobre a importância da fantasia na infância.

"Às vezes questiono-me se o meu filho não vive demais no "mundo da lua", mas depois ele surpreende-nos quando nos mostra coisas que sempre estiveram lá e nós nunca tínhamos reparado, apenas ele olha para elas de outra forma... e quando usa frequentemente objetos para coisas diferentes daquelas para que foram criadas.

E temos também a linguagem. Algumas palavras ele ainda não diz corretamente e isso preocupa-nos apesar de tanto a educadora como a médica dizerem que está dentro do normal... por vezes não percebemos à primeira o que nos está a dizer, mas acho fantástica a capacidade que ele tem de reformular, de dizer as coisas por outras palavras para se fazer entender.

Se calhar a coisa até está a correr bem e lá no seu "mundo da lua" ele anda a aprender umas coisas. " Mãe Paula Amei cada palavra de coração escritas pela mãe Paula e por isso o meu coração também se moveu a escrever-lhe: “Mãe Paula compreendo o seu sentir. Queremos garantir o melhor para os nossos filhos e nessa intenção questionamos o seu desenvolvimento. Partilho um desafio que pode fazer-lhe sentido. Se sim aceite, se não deixe ir. "Se calhar a coisa está a correr bem..."

Desafio: Quando pensa que eventualmente pode não estar é através da comparação com quem ou o quê?!

Em Coaching Educativo analisamos cada pessoa de acordo com a sua individualidade. Somos únicos Paula. Esteja atenta, claro, e no caminho retire a comparação e desafie-se a olhar para o potencial do seu filho! Que caraterísticas o tornam único?!

Quando olhar desta perspetiva vai descobrir tanto, que o que ainda é espaço de melhoria e crescimento vai transformar-se aos seus olhos e tão importante vai deixar de ser o seu foco e como consequência o do seu filho, que sempre aprende com quem o rodeia e principalmente com os pais.

Obrigada pela partilha verdadeira que me moveu a escrever-lhe estas palavras.”

Susana Farinho Garcês

Nestas minhas palavras procurei desafiar a mãe Paula a pensar sobre os seus próprios pensamentos e conclusões e até a olhar para o seu filho através de uma nova perspetiva.

Quando somos pais olhamos para os nossos filhos de acordo com quem somos e com a nossa própria bagagem.

Os nossos filhos são “vistos” por muitas pessoas, nós somos “vistos” também e garantidamente nenhuma os olha, ou nos olha de forma sequer semelhante, já que também somos únicos e na nossa unicidade temos também olhares e avaliações únicas!

Já tinhas pensado nisto?!

A ti que também és mãe, pai, educador, professor... a todos nós.

Vamos estar atentos a cada criança e ao seu desenvolvimento único, a observar e a acreditar a partir do seu potencial e sem comparação.

Como podemos comparar o que é único?! Quando olhamos para os recursos de cada pessoa ela é transformada aos nossos olhos.

E se passássemos a olhar o mundo através das lentes do amor e do potencial?!

A mim parece-me que o mundo seria outro, ou pelo menos bem diferente!


Que comece a partir de cada um de nós!





64 visualizações0 comentário